Yin Yang

Homem e Mulher Criança

Por Antonietta Graziano Forcione

imagemAs crianças e, mulheres e homens “criança”, sempre conseguem de um jeito ou de outro, o que querem.
Elas querem amor, recebem amor, elas querem carinho, recebem carinho, querem atenção, recebem atenção, querem presença, recebem presença. Os “pais” tratam-nos com todo cuidado, para evitarem das “crianças” chorarem, já as mulheres ou homens “criança” podem ir embora, podem ficar tristes, podem ficar depressivos ou até mesmos doentes, verdadeiros bibelôs.
No caso das crianças, elas estão certas. Afinal são crianças! Estão em desenvolvimento...
No caso da mulher ou homem “criança”, de certa forma também, pois acabam recebendo o que desejam. Então, para que se desenvolver?
Aprenderam a serem atendidos nos seus anseios e necessidades.
Se a vida é um “mar de rosas” ou não, para eles, não importam, desde que estejam recebendo.
As “crianças”, por algumas vezes, até conseguem alcançar, as “dádivas” dos adultos, mas não se sustentam porque foi decidido que os adultos não precisam dessas coisas, já estão além deste limites, afinal eles, os adultos, são e devem ser os “pais” dessas “crianças”.....
Assim, num dia tem amor, noutro, quando der, terão amor novamente, mas até lá, as “criança” deveriam ficar ótimas, produtivas, amorosas e com firme certeza e segurança de sentirem-se amadas. Caso contrário, já começam a achar que ser adulto é um saco....
Por outro lado, e os homens?
Você já viu!
O tanto que eles adoram uma “mulher criança”, e não é só, o homem criança que gosta. O homem que se diz “adulto” (quatro estrelas) também.
Pelo menos a maioria deles, gostam de “mulher menininha”, quando não procuram por uma menina mesmo, para se relacionarem.
A mulher adulta, aquela que não dá trabalho, não cobra, não adoece, não entristece, não reclama presença, é gostosa, divina e maravilhosa, etc. e tal parece mesmo pura ficção.
Que estado difícil é esse de ser uma mulher adulta, de ser madura. Se ela sugerir alguma coisa, dirão é cobradora, ciumenta, possessiva, chata, regrediu a estágio infantil ou sei lá mais o que.
Bem, mas isto só deve acontecer quando a mulher adulta se relaciona com um “homem criança”, ou até por um “adolescente”. Não é mesmo?
Será que ser adulto é, de certa forma, virar como múmia com cara de paisagem????
Será que existe tal categoria?
Eu já to fora! Quero continuar adulta, mas adulta “porra loca”, que chuta o pau do barraco quando alguma coisa não vai bem.